No post de hoje eu resolvi falar um pouco sobre três etapas que o nosso Pneu deve passar sempre que for necessário e algumas dicas para que o carro esteja sempre com a total segurança e conforto. Temos que ter muita atenção e fazer tudo do modo correto, até quando coisas desagradáveis acontecem. Se você acha que não pode seguir essas recomendações, procure um profissional. Mas alguns serviços você não pode fazer por conta própria.

O sabe o que é alinhamento, balanceamento e rodízio? Vou explicar sobre esses três procedimentos, pra que serve e quando tem que ser feito. O alinhamento é um procedimento de extrema importância e deve ser feito em toda manutenção do carro. Esse processo para regular todos os ângulos de direção e suspensão do nosso carro, fazendo com que estejam sempre em contato certo com o solo, e esses três ângulos são: convergência/divergência, câmber e cáster.

Já o balanceamento serve para equilibrar todas as rodas do carro, isso ajude na hora que as rodas viram e não precisamos sentir aquela vibração no volante na hora que estamos dirigindo em uma velocidade maior. E, por fim, o rodízio que seria a troca de posição dos pneus. Isso ajuda e faz com que os pneus tenham um desgaste igual, ficando mais fácil na hora de trocar os quatro, que é o mais indicado.

Mas qual motivo para eu ter que fazer esses serviços? Bem simples, gente! No caso do alinhamento, eu te dou três razões para seguir: vamos economizar dinheiro, até porque os nossos pneus vão durar mais e não precisamos trocar por outros tão cedo. A direção certamente tende a ficar mais macia, pois o rolamento apresenta uma resistência menor e você vai conseguir controlar mais a direção do veículo, o que aumenta a segurança que de quem está dentro do carro. O balanceamento serve para tirar aquelas trepidações chatas que sentimos no volante, além de ajudar a prolongar a vida útil do pneu. O rodízio nos auxilia na hora de saber os pneus que devem entrar no eixo traseiro ou dianteiro. Os mais novos devem ficar na parte de trás, o que nos trás mais segurança, e os mais usados devem se encaixar na parte da frente do veículo.

Quando os ângulos de suspensão então do jeito de não deveria estar, o carro passa a mostrar problemas e não consegue de manter nas pistas com um bom comportamento. Isso coloca a nossa vida em risco, além de causar diversos problemas à suspensão, rodagem e direção do automóvel. Quando a direção começar a puxar mais para um lado do que para o outro e você fica com dificuldade de manter o carro em linha reta, quando os pneus começam a fazer barulho na hora que o carro faz alguma curva e quando o volante não fica centralizado quando o carro se encontra em linha reta, sem casos que nos mostram que estamos precisando urgentemente fazer o alinhamento.

 

Pneus

Agora a maneira mais fácil de perceber que o balanceamento está precisando ser feito é quando o volante começa a vibrar quando passamos da velocidade de 60km/h. Quando os pneus estão balanceados, isso não costuma acontecer. Por isso temos que balancear sempre que for possível. Não podemos deixar de observar o estado dos pneus, mesmo na sua parte interna. Se passarmos a perceber que o pneu de um lado está mais gasto que do outro, temos que inverter para que eles consigam ter um desgaste uniforme.

O alinhamento deve ser feito toda vez que percebermos que o carro não ta se mantendo em linha reta, como e disse acima. Mas se esse não é o caso, temos que fazer em todas as revisões que o nosso carro passar ou a cada 7 mil quilômetros rodados. Quando o carro passar por algum buraco, tem um choque, seja da roda com a calçada ou uma batida mais forte, o procedimento também deve ser realizado. Sem contar quando tiver uma mudança nas peças de suspensão, de direção, desgastes irregulares entre os pneus e quando substituirmos os pneus. São outros motivos que nos fazer realizar o alinhamento.

Já o balanceamento, devemos realizar toda vez que os pneus forem trocados, quando tiver algum tipo de conserto nas câmaras, se tiver mudanças das pastilhas de freios ou peças de suspensão e a cada 10 mil quilômetros que o carro rodar. E o rodízio eu já falei sobre. Deve ser feito sempre que percebermos desgastes irregulares dos pneus e em todas as revisões que o fabricante do veículo estipular.

Um grande inimigo dos pneus chama-se aquaplanagem. Isso se dá quando o carro passa na pista molhada e parece que está deslizando, nos tirando o poder de controlá-lo. É quando o veiculo perde o seu contato com o solo por causa da água. Para evitarmos a aquaplanagem devemos sempre deixar os pneus com a pressão adequada e não podem estar a 30% abaixo daquilo que o fabricante recomendou. Andar com os pneus gastos também nos promove esse risco, por isso devemos evitar. E, por último, diminuir a velocidade toda vez que passarmos por pistas molhadas. Isso nos promove uma maior segurança e em caso de deslizamento do carro, conseguimos segurá-lo, pois não estará correndo muito.

O pneu não tem uma validade estampada nele. A maioria das marcas recomenda que o uso do pneu seja de até cinco anos após a sua fabricação. Você também pode procurar essa informação nas laterais dos pneus, ali mostra o número DOT. Se você encontrar, por exemplo, o número 1316, significa que o pneu foi fabricado na décima terceira semana (13) do ano de 2016 (16). Bem fácil de fazer essa leitura.

Se não calibrarmos os pneus da maneira correta, podemos correr sério risco de aquaplanagem, como eu mostrei acima para vocês. Mas o excesso de pressão nos pneus também não é uma coisa boa, quando ele se encontra muito cheio, pode acabar quicando na estrada, o que traz mais instabilidade na parte traseira do veículo. Mas temos que calibrar os nossos pneus toda semana e sempre que a gente for fazer uma viagem, nunca depois, pois os pneus tem que estar com a temperatura baixa e ter rodado pouco. A pressão que você deve colocar nos pneus do seu carro vem no manual ou na porta do motorista. Ali você encontra todas as indicações.

Outra pergunta que gera milhões de dúvidas: o que precisamos saber quando vamos comprar pneus novos? Não é muito difícil, mas se você acha que é uma coisa complicada, não deixe de procurar quem sabe do assunto. Isso vai te ajudar demais. O tamanho tem que ser igual ao de fabrica e essa informação você vai encontrar no manual do seu carro. Veja qual classificação de velocidade serve para o seu carro, não queira comprar qualquer um, isso serve para o peso que os pneus podem aguentar. Tem carro que aguenta 900 quilos e a pessoa que comprar um pneu que aguenta 500 quilos só para pagar mais barato. Faça um busca dos valores, mas prevaleça sempre e escolha de um lugar de confiança. Não podemos trocar por qualquer um. Se possível a troca tem que ser feita entre os quatro e com a mesma marca e tamanho.

Se for o caso de ter o pneu estourado na hora que você está dirigindo, tente não frear rapidamente, de uma maneira muito forte. Tente deixar o carro em linha reta, por mais difícil que seja, e reduza a sua velocidade. Saia com cuidado para o acostamento e, se possível, faça alguma sinalização para os outros motoristas que estão passando, para você conseguir parar o carro com segurança. Por isso que precisamos de uma chave de roda, um macaco hidráulico e o estepe dentro do carro. Assim vamos conseguir trocar o pneu furado.

Para qualquer problema, não deixe de conhecer a Gilson Pneu. Eles estão no mercado há muitos anos e são referência em trabalhos automobilísticos. Veja a loja mais perto de você e, se não for o caso, faça um esforço para ir até lá. Se o caso for só troca de pneu, você pode pedir os seus por WhatsApp que os seus novinhos vão chegar em sua casa em até 24 horas. No site você encontra todos os preços, que por sinal é o melhor do mercado, tanto para pneus novos quanto para serviços que o seu precisa sempre fazer. Eu conheci a loja através de amigos e faço todos os serviços do meu carro com eles. Os pneus e peças são originais e com o preço que cabe no nosso bolso. Temos que ter garantia daquilo que estamos comprando. Até porque, vários lugares vendem peças caras, o que não passa a ideia de ser original, e depois descobrimos que são falsificados. Toda cuidado é pouco.